Yogini: ressignificando o e-commerce de moda

27 de Julho de 2020 (atualizado em 08 de Dezembro de 2020)


Bloco de itens mais vendidos no site da Yogini

GO-LIVE:
MARÇO DE 2019

WEBSITE:
YOGINI.COM.BR

CATEGORIA:
MODA / ESTILO DE VIDA

Resumo do case

  • – Funcionalidades de compra por look e páginas com Lookbooks;
  • – Atuação que vai além do varejo para criação de comunidade;
  • – Apoio crucial da FRN para a virada de agência e de interesse da Yogini na operação

A busca por diferenciação pode ser um trunfo para empresas inseridas em um mercado super concorrido. Esse é o caso do setor de roupas e acessórios no comércio eletrônico brasileiro, um dos mais consolidados por aqui. Por isso, o projeto da Yogini traz um e-commerce de moda com funcionalidades bem interessantes.

Uma delas é a compra por look, que traz uma experiência mais interativa para as clientes. Falaremos sobre esse recurso ao longo do texto, mas ele já é um belo exemplo de como as marcas tentam criar um ambiente inovador.

E inovação nesse modelo de e-commerce é fundamental. O site tem a limitação de não replicar o toque no tecido ou a experimentação das roupas que acontecem na loja física. Logo, funcionalidades que dêem mais opções e confiança ao público são de grande valor.

Neste texto, você verá como o case de Yogini se aplica nessas premissas. Esse é mais um projeto desenvolvido pela FRN³ na plataforma VTEX que terá sua história contada por aqui.

O perfil da Yogini

A Yogini é uma marca de moda fitness/casual e de acessórios relacionados à prática do Yoga. A essência da marca, inclusive, está muito ligada a essa atividade, aglutinando valores como leveza, autoconhecimento e bem-estar.

O go-live do seu e-commerce, após a migração para FRN, aconteceu no primeiro trimestre de 2019, e sua operação ainda é apartada da loja física (com preços e estoques próprios).

A empresa também fabrica boa parte das peças vendidas no site (produção 100% nacional). São roupas, tapetes e outros acessórios de marca própria, tanto que ela também vende para outros varejistas e marketplaces, como Amaro, Netshoes e Amazon.

No varejo físico, a Yogini possui 7 lojas em shoppings da cidade de São Paulo. A empresa tem 15 anos de história e faz parte do Grupo Bayard Esportes (que também é cliente FRN).

Criação de uma experiência mais interativa

O maior destaque funcional na loja da Yogini na internet está atrelado à forma única e contemporânea de apresentação dos seus produtos e coleções.

Além da exibição no tradicional modelo de vitrine com peças únicas, a empresa aposta nas prateleiras com looks completos. Os dois modelos adotados são a compra por look e as páginas de lookbooks. 

Compra por look

O primeiro funciona da seguinte maneira: em uma das prateleiras na home da loja, as visitantes podem conferir uma vitrine dedicada aos looks em destaque. 

Por ali, elas podem clicar em um desses conjuntos e ter acesso a uma espécie de página de produto com todos os itens disponíveis que compõem aquele conjunto.

Bloco de compra por look na home da Yogini
Bloco de compra por look na home da Yogini

Lookbook

Já o lookbook funciona de modo semelhante: há um departamento exclusivo do site que apresenta algumas coleções da loja, como Primavera 2021, Cores da Alma e Arte & Espiritualidade, no formato de um ensaio de fotos. Nele, as clientes, ao passarem o indicador do mouse sobre as imagens, podem escolher os produtos disponíveis em estoque usados pelas modelos — e sem precisar visitar as páginas dos produtos.

Para o público, cria-se uma experiência mais interativa de escolha das peças. É como se as pessoas tivessem acesso a um book fotográfico e escolhessem os produtos ali na hora, sem precisar encomendar pedidos a um revendedor.

Além disso, cria-se uma interação mais parecida com aquela que há na loja física. Por exemplo, ao conferir e poder comprar os looks completos, a visitante alimenta uma ideia mais clara em relação à combinação das peças, assim como ela percebe quando experimenta as roupas nos provadores.

Para fechar, vale destacar o trabalho de design dos lookbooks. A “aleatoriedade visual” comum nas páginas de categoria cedem lugar a uma página com imagens muito bonitas e harmonizadas, com uma paleta de cores condizente aos temas dos ensaios.

Experiência de navegação no Lookbook da Yogini
Experiência de navegação no Lookbook da Yogini

Páginas visualmente mais limpas

Um outro diferencial está na página de produtos. Lá, há uma diferenciação bem notável do que se vê no padrão do e-commerce.

Por exemplo, as peças à venda ficam no lado direito da tela, e os detalhes de preços, cores e tamanhos à esquerda. Descrições dos produtos, informações adicionais e guias de medidas ficam em um menu suspenso no lado esquerdo, o que ajuda a reduzir a quantidade de informações na tela.

Desenvolver layouts mais limpos, com vários espaços em branco, e que priorizem as imagens de alta definição em relação aos textos é uma das melhores práticas de usabilidade para um e-commerce de moda.

Página de produto da loja virtual da Yogini
Página de produto da loja virtual da Yogini

Foco no propósito e no melhor uso dos produtos

Mais do que vender produtos, a Yogini também promove eventos/aulas de Yoga, lives no Instagram sobre temas relacionados a essa atividade e dicas em seu site de como suas clientes podem cuidar melhor das peças.

Isso ajuda a criar um senso de comunidade em torno da marca. Pessoas com interesse em Yoga orbitam nos canais da Yogini para comprar, trocar experiências, praticar e aprender mais sobre esse universo. 

A empresa, com isso, tenta ajudar seu público a fazer um uso mais duradouro das roupas e a se manter ativo no Yoga. Isso é essencial para a marca seguir sendo lembrada e aumentar as chances de recompra.

Em um e-commerce de moda, ter um propósito claro como a Yogini faz toda a diferença. Afinal, ter uma identidade própria e presente na experiência de compra, nos conteúdos e nos produtos é algo que diferencia a marca das lojas mais generalistas.

Imagem da página da coleção mântrica inverno 2020. Lookbook da Yogini como uma inovação no e-commerce de moda
Coleção mântrica inverno 2020 | Lookbook Yogini

O apoio da FRN na digitalização da Yogini

A frase pode parecer clichê, mas por trás de todo grande projeto de e-commerce, sempre haverá parceiros verdadeiramente estratégicos.

E a FRN assumiu esse papel ao conduzir todo o processo de migração de agência — antes, a Yogini era atendida por uma empresa de Full Commerce.

Devido aos maus resultados na época, a Yogini estava em um momento de incertezas. Não era seguro afirmar se cancelariam a operação ou tomariam o controle de parte dela.

A partir daí, a sua relação com a FRN se iniciou. Começamos com uma consultoria estratégica para manter o interesse no projeto e, aos poucos, migrar para um modelo onde eles teriam mais participação na evolução da loja.

Logo depois, apoiamos e executamos parte do redesenho da loja (o site é completamente novo) e da estrutura do time da Yogini que iria passar a operar seu e-commerce.

Aliás, é importante ser dito que a Yogini passou a valorizar demais esse projeto. O e-commerce foi começando a ser visto mais como um canal de peso e menos como um de venda marginal.

Para se ter uma ideia, quando iniciamos o kick-off, havia profissionais de todas as áreas participando e entendendo esse novo mundo do e-commerce.

No mais, ainda ajudamos a Yogini com treinamento da plataforma VTEX, consultoria em UX e, até o momento de atualização deste case, com evolução e suporte.

Página inicial da loja virtual da Yogini
Página inicial da loja virtual da Yogini

Um e-commerce de moda com mais inovação e participação

Esses dois valores simbolizam o que é esse case de Yogini. Do lado da vitrine, do que é sempre exposto ao público, a criação de um modo mais interativo e prático para comprar. Nos bastidores, uma virada de mindset que passou a dar mais relevância ao e-commerce.

A propósito, as duas coisas estão intimamente ligadas. Afinal, sem a confiança de acreditar na retomada ou no crescimento do projeto, não há segurança para arriscar trazendo funcionalidades diferentes. Logo, essa ressignificação começa internamente, nas pessoas que tomam conta da loja.

Se você tiver interesse em dar uma virada em sua operação de e-commerce e colher bons resultados, a FRN pode ajudar.