Surf Co.: Transformação digital na indústria e no varejo do surfe

17 de Novembro de 2021


Página inicial do e-commerce Hang Loose em novembro de 2021

GO-LIVES:
NOVEMBRO DE 2020
AGOSTO DE 2021

CATEGORIA:
MODA / INDÚSTRIA / ESPORTES

Resumo do case

  • Criação e/ou redesign de 5 e-commerces do grupo: Hang Loose, HUF, Vissla, Volcom e Hurley;
  • Funcionalidades como preview do carrinho de compras e visualização das variações de SKUs nas prateleiras das páginas de categorias;
  • 200% de crescimento do faturamento após a entrada da FRN³ e da consultoria do Felipe Bremberger;
  • A taxa de conversão subiu mais de 70% nos últimos dois anos em comparação com o biênio anterior.

Parece que a transformação que o surfe brasileiro viveu nessa última década (com 5 títulos mundiais) contagiou as marcas que trabalham com esse mercado.

Algumas de suas indústrias, que até então só vendiam para revendedores, se reinventaram e miraram seus esforços no consumidor final.

Esse é o caso da Surf Co, que, em parceria com a FRN³ e o Felipe Bremberger, lançou o e-commerce de Hang Loose em meio à pandemia e tem criado ou refeito as versões brasileiras das lojas virtuais das marcas que possui licença, como Volcom, Vissla, Hurley e HUF.

Depois de décadas com a venda concentrada nas lojas físicas multimarcas e especializadas em boardsports, o grupo optou por ter um contato direto com o cliente final, ser mais influente em sua experiência de compra e ainda imprimir sua essência com mais liberdade.

Saiba mais sobre a Surf Co.

A empresa atua na produção e venda de roupas e acessórios para o mercado de esportes sobre pranchas, especialmente o surfe e o skate.

A propósito, a Surf Co. é parte da história do surfe no Brasil. A marca nasceu como Hang Loose, em 1982, após o seu fundador, Alfio Lagnado, perceber a necessidade de produzir bermudas que fossem mais propícias para a prática desse esporte. 

Quatro anos mais tarde, eles produziram o Hang Loose Pro Contest, uma das etapas do circuito mundial de surfe, na praia da Joaquina, em Florianópolis. Isso foi um marco para a jornada do surfe no Brasil, pois havia 10 anos que o Brasil não recebia um evento internacional do esporte, o que ajudou a colocar o país de volta nos holofotes.

Inclusive, no início da década de 1990, a Hang Loose patrocinou dois surfistas brasileiros e os colocou no circuito mundial: Teco Padaratz e Fábio Gouveia, que acabara de ser campeão mundial amador da categoria.

Com o passar do tempo, a Hang Loose se tornou Surf Co. após incorporar as licenças de marcas internacionais como Volcom e Rusty, e depois vieram HUF, Vissla, Hurley e outras.

Página inicial do e-commerce da HUF Brasil
Página inicial da loja de HUF em novembro de 2021

A origem, a configuração e os objetivos do projeto

Antes de desembarcarem aqui na FRN³, a Surf Co. já possuía um departamento de B2C funcionando há alguns anos. Aliás, algumas marcas licenciadas do grupo também tinham seus e-commerces em VTEX, como Vissla e Volcom, desenvolvidos por uma outra agência, que não deu continuidade ao projeto.

Na busca de ter mais fluidez para tocar o desenvolvimento e a evolução dessas lojas, a Surf Co. procurou a FRN³ em 2020 para assumir o desenvolvimento dos projetos do grupo.

Uma boa agência VTEX é fundamental nesse processo porque começamos a mudar a comunicação da loja com mais frequência e o suporte da FRN³ foi fundamental para podermos lançar essas atualizações com mais agilidade e autonomia. – Felipe Bremberger, consultor e ponto de contato com a Surf Co.

As lojas lançadas ou que estão para subir a qualquer momento são:

  • 👉 Os novos e-commerces de Hang Loose, HUF e Hurley;
  • 👉 Os redesigns de Vissla e Volcom.

A parceria entre a FRN³ e o Bremberger, oriunda de outros e-commerces que fizemos em conjunto (como Ophicina), ajudou no sucesso da criação desses novos projetos.

Hoje, até pela vivência e conhecimento que temos com a plataforma VTEX, somos os responsáveis pela criação e evolução das lojas de Surf Co. 

Em relação ao desenvolvimento das lojas, o único layout novo é o de Hang Loose. Os e-commerces das marcas licenciadas seguem ou deverão seguir o mesmo estilo das suas versões gringas.

Se liga em como é a loja de HUF em sua versão brasileira que criamos aqui na FRN³ em comparação com a sua versão global:

Comparativo das lojas HUF Brasil e HUF Worldwide

As principais funcionalidades das lojas

Até o momento desta publicação, somente os sites de Hang Loose e HUF Brasil haviam sido desenvolvidos pela FRN³. Portanto, vamos nos atentar somente sobre eles.

Aliás, os dois possuem algumas semelhanças entre as suas features.

Ao navegar por essas lojas e adicionar um produto à sacola, você vai notar que uma prévia do carrinho de compras aparece no lado direito da página onde esse item foi adicionado.

Página de produto com preview de carrinho de compras no e-commerce da Hang Loose

Em HUF, esse preview ainda vem acompanhado de uma barra de progresso rumo ao frete grátis, dando um certo ar de gamificação para impulsionar o aumento no ticket médio.

Página de produto com preview de carrinho de compras no e-commerce da HUF

Outro recurso implementado e que é bem interessante é o quickbuy (ou compra rápida). Na loja de Hang Loose, em qualquer página onde tenha uma prateleira, o cliente pode selecionar uma variação do produto (tamanho ou cor, por exemplo) e adicionar diretamente ao carrinho, sem precisar passar pela página desse mesmo produto.

Página de categoria mostrando as prateleiras com variações de SKUs no e-commerce da Hang Loose

No mais, vale a pena observar a presença de funcionalidades como:

  • 👉 header com mensagens em transição (sobre frete, descontos e benefícios nas compras);
  • 👉 visualização de variações de SKUs nas páginas com prateleiras de produtos;
  • 👉 opção de pagamentos por PIX e até PIX parcelado.

Todas essas funcionalidades refletem a “liberdade” que a Surf Co. agora têm para controlar os fluxos de compras dos seus clientes.

Isso não diminui a velha e boa preocupação com a forma como o lojista revendedor está expondo seu produto no ponto de venda. No entanto, um canal próprio e direto ao consumidor ajuda a equilibrar mais as coisas, sobretudo em inteligência comercial.

Agora, a Surf Co. tem a oportunidade de obter os insights e os dados que ajudam, inclusive, a pensar nessas e em outras features para o e-commerce.

É bem possível que isso tenha ajudado o grupo, indiretamente, a atingir um crescimento relevante nesses dois últimos anos de operação no digital, como veremos a seguir.

A impulsionada nas vendas de Surf Co.

A guinada nos resultados dos e-commerces de Surf Co. veio após a entrada da consultoria do Bremberger, no comecinho de 2020, e com a posterior contratação da FRN³ para desenvolver suas lojas virtuais.

Nesses últimos 2 anos, em meio à pandemia, conseguimos números expressivos em comparação com o biênio de 2018 e 2019:

  • 🔝 O faturamento do grupo triplicou no digital;
  • 🔝 Os pedidos deram um salto de 148%;
  • 🔝 O ticket médio se tornou 24% maior do que antes;
  • 🔝 Os acessos às lojas virtuais cresceram 43%;
  • 🔝 E a taxa de conversão média subiu 73%.

Esses dados nos permitem algumas interpretações sobre como as novas lojas e um novo apoio estratégico à gestão delas contribuíram com o seu sucesso.

Por exemplo, quando vemos uma taxa de conversão crescendo a um ritmo mais acelerado do que os acessos, é sinal de que as experiências de navegação e compra nos sites se tornaram mais amigáveis e atrativas para os consumidores. O tráfego desperdiçado, que não resulta em compra, reduziu significativamente.

O papel da consultoria também foi fundamental para otimizar diversos processos internos, como:

  • 👉 Reestruturação da equipe, inclusive com a indicação e a preparação de um novo gerente de e-commerce;
  • 👉 Redução nos gastos publicitários com a internalização da produção dos materiais e da execução das campanhas, o que trouxe mais eficiência pra área;
  • 👉 Retirada das tags e plugins desnecessários integrados aos sites, o que certamente melhorou a velocidade de carregamento e a navegabilidade nas lojas, o que também impacta no número de acessos e conversões;
  • 👉 E o acerto no mix de produtos e nos seus lançamentos, diminuindo as liquidações e focando nas novidades, sendo divulgado em formato de drops, alimentando sua base de consumidores com mais frequência.

A transformação é dura, mas gera resultado

Não é simples, especialmente para a indústria mais tradicional e menos digitalizada, fazer esse movimento da Surf Co., de lançar e relançar várias lojas em 2 anos e ainda assumir uma certa competitividade com um canal consolidado de vendas como o atacado/varejo.

São várias brigas a serem compradas. 

Entretanto, os números do grupo no comércio eletrônico mostram que esse caminho, com o tempo, tem se mostrado bem produtivo.

Com marcas fortes, parceiros experientes em VTEX, um maior domínio sobre experiência de compra do cliente final e uma boa convicção no potencial do e-commerce, eles estão trilhando sua jornada com sucesso.

Você também pode se inspirar nessa história e construir o seu sólido projeto de e-commerce. Nós estamos aqui para te ajudar. Acesse a nossa página de contato para darmos o primeiro passo.