Fujioka: como gerir um e-commerce B2B e B2C?

24 de Dezembro de 2019 (atualizado em 07 de Dezembro de 2020)


Página inicial do site do e-commerce do Fujioka

GO-LIVE:
DEZEMBRO DE 2019

WEBSITE:
FUJIOKA.COM.BR

CATEGORIA:
ATACADO / VAREJO / ELETRÔNICOS

Resumo do case

  • – Maior organização ao colocar as operações B2B e B2C na mesma plataforma, mas em ambientes diferentes;
  • – Maior customização para assimilar complexidades do modelo B2B, como a possibilidade de o usuário ter múltiplos CNPJs para um mesmo login;
  • – Maior fluidez no cadastro de empresas com a integração, via API, com a base de dados do Sintegra.

O Fujioka é um dos exemplos mais legais de digitalização no varejo e atacado brasileiro. A empresa, que já possui uma estrutura bastante consolidada no mundo físico, trouxe para o e-commerce tanto sua operação B2B quanto a B2C.

O início aqui na FRN e na plataforma VTEX foi com o Fujioka Distribuidor, o site de vendas para empresas, em 2019. Menos de um ano depois, veio a expansão para a loja voltada ao consumidor final. 

Aliás, vale ressaltar que ambos os projetos são de migração de plataforma. O Fujioka usava um sistema legado operado internamente. Logo, não havia uma experiência prévia com VTEX.

Dito isso, dá para afirmar que foi grande a complexidade para desenvolver os dois canais e suas customizações, especialmente no lado do B2B.

Neste estudo de caso, vamos falar um pouco sobre como cada loja virtual do Fujioka opera. A intenção é mostrar como dá para manter a casa organizada ao gerir um e-commerce B2B e B2C e ainda ter sucesso com isso.

Conheça o Fujioka

O Fujioka atua há mais de 55 anos com a venda de produtos eletrônicos e de tecnologia de uso doméstico e empresarial. Em seu catálogo, estão categorias como telefonia, informática e automação comercial.

No varejo, a empresa tem mais de 60 lojas físicas espalhadas por Goiás, Minas Gerais e no Distrito Federal. No atacado, ela possui dois pontos de vendas presenciais, sendo um em Goiânia e outro em Anápolis. O Fujioka também conta com quatro centros de distribuição — em cada um dos seguintes estados: Goiás, São Paulo, Espírito Santo e também no DF.

A companhia é referência no setor e está presente na lista Melhores e Maiores, do portal Exame. Em 2019, ela figurou entre as 600 maiores empresas (de todos os segmentos) e no top-50 de varejistas no Brasil (com mais de R$ 1 bilhão em vendas).

Entenda como cada site funciona

Fujioka B2C

Vamos começar pela versão mais simples do e-commerce do Fujioka. Sua origem é decorrente do sucesso na entrega do primeiro projeto, o B2B. 

A propósito, o layout seguiu até os padrões visuais que o Fujioka Distribuidor já usava antes mesmo da migração.

Em termos de funcionalidades, podemos destacar as que ajudam o cliente a reduzir a quantidade de cliques para comprar e a aumentar o ticket médio de suas compras, como:

  • – O sistema de busca inteligente com adição ao carrinho;
  • – Um efeito de mouseover sobre os boxes de produtos nas prateleiras: o cliente tem a opção de adicioná-los diretamente ao carrinho sem visitar as páginas de produto;
  • – Uma barra de preenchimento no carrinho lateral que indica o valor que falta para chegar ao mínimo para o frete gratuito.
Experiência de navegação com adição de produtos ao carrinho de compras lateral no site do Fujioka
Experiência de navegação com adição de produtos ao carrinho de compras lateral

Fujioka Distribuidor

Diferentemente do site que vende para pessoa física, o Fujioka B2B carrega uma série de customizações necessárias para aplicar determinadas regras de negócio.

Vamos começar citando a já tradicional ocultação de preços para quem não é cadastrado no site. Como as condições comerciais são diferenciadas para CNPJs, como preços mais baixos do que na venda ao consumidor final, o acesso às informações completas de catálogo se torna restrito.

Ainda no cadastro, a FRN criou uma funcionalidade que permite um login com múltiplos CNPJs. Desta forma, o usuário tem a possibilidade de vincular quantos CNPJs ele quiser ao e-mail usado na inscrição do site. O resultado disso é que um grupo empresarial pode, na mesma sessão, fazer diferentes compras para as suas filiais, com cada uma podendo ter diferentes preços, linhas de crédito e prazos de entrega.

Experiência de troca de CNPJs em um mesmo login no site do Fujioka
Experiência de troca de CNPJs em um mesmo login

Essas condições personalizadas são um outro recurso bem interessante. Nela, o Fujioka faz uma espécie de clusterização dos clientes e CNPJs cadastrados em sua base de acordo com critérios internos. Essa segmentação ajuda, inclusive, na análise de crédito dos compradores quando eles optam por pagar via boleto parcelado.

Para fechar a lista de complexidades importadas para o e-commerce B2B do Fujioka, vamos trazer mais 3 itens:

  • Migração das integrações usadas no sistema legado para o cloud commerce da VTEX. Isso requereu um grande esforço do time interno do Fujioka para se adequar aos limites e exigências para programar na nova plataforma;
  • – Desenvolvimento, pela FRN, uma API de consulta ao banco de dados do Sintegra para resgate de informações da conta jurídica no cadastro;
  • Produtos com SKUs se diferenciando pelo centro de distribuição. Dessa maneira, o Fujioka tem mais facilidade na hora de configurar promoções, tributações e preços específicos, por exemplo.

Não inclua as lojas B2B e B2C no mesmo ambiente VTEX

Uma das boas práticas que recomendamos a todos os nossos clientes VTEX que expandem seus e-commerces para outros modelos é a contratação de um novo ambiente.

Esse conselho se baseia na ideia de oferecer uma maior organização e liberdade sobre a operação das lojas. Por exemplo, a funcionalidade de múltiplos CNPJs por login só foi possível porque o Fujioka dividiu os seus dois modelos comerciais.

Em ambientes separados, o lojista tem interfaces totalmente apartadas, o que facilita o manuseio e a visualização de catálogo, pedidos, estoque e integrações.

Além disso, possíveis falhas humanas podem ser evitadas, como uma configuração destinada ao B2C se refletir no B2B por dividirem o mesmo painel.

Caso a loja tenha uma equipe dedicada para cada operação, ela poderá gerir melhor os níveis de acesso e controlar mais os dados internos.

Só que também tem um lado negativo: os custos e as integrações. A contratação de um novo ambiente vai gerar mais uma mensalidade para o cliente, bem como a necessidade de fazer, por exemplo, uma nova integração ao seu ERP.

Enfim, ao considerar os prós e os contras, ainda vale mais a pena não misturar as coisas sob o mesmo admin. O Fujioka optou pela separação e, hoje, tem uma gestão mais bem estruturada dos seus e-commerces.

Página inicial do site Fujioka Distribuidor
Página inicial do site Fujioka Distribuidor

O que diz o cliente?

A implementação de um e-commerce requer muitos cuidados, principalmente no que diz respeito a modelo de negócio e arquitetura técnica para que se torne um projeto escalável, e isso a FRN faz muito bem. Ela pensa em todas as fases de implementação, olhando para a escalabilidade do negócio a médio e longo prazo. Já trabalhei em vários projetos de lojas VTEX, e a FRN, sem dúvidas, está entre as melhores para implementação, pois possuem portas abertas com as plataformas e todo ecossistema que envolve o e-commerce.

Enzo Pimentel, Gerente de E-commerce do Fujioka nos seus primeiros anos de implementação e evolução.

Faça uma transformação digital mais organizada

As empresas que vendem para mais de um público (não só B2B e B2C, mas também B2E, C2C e B2G) devem desmembrar suas operações em seu processo de digitalização.

Cada modelo de negócio carrega suas particularidades. Eles podem trabalhar com diferentes catálogos, preços, promoções, estoques, centros de distribuição, experiências e regras comerciais. Sendo assim, torna-se mais fácil de gerir esses canais se eles possuírem suas próprias lojas.

A propósito, vale começar com um passo de cada vez, como no caso do Fujioka. O site B2B da companhia abriu caminho para a migração do B2C usando a mesma plataforma e o suporte da FRN, até pela experiência bem sucedida com ambos no primeiro projeto. Trata-se de um canal servindo como base para o outro com insights valiosíssimos

Então, o recado final é: foco na organização do seu projeto. Detalhe-o o máximo possível e não balize suas decisões somente em custos ou agilidade.

Se você quiser um apoio para colocar em prática sua migração ou digitalização, ficaremos felizes em ajudá-lo!